\chapter*[Introdução]{Introdução} \addcontentsline{toc}{chapter}{INTRODUÇÃO} % ———————————————————- O presente trabalho visa fazer uma análise da situação do Instituto Federal do Paraná

\chapter*Introdução{Introdução}
\addcontentsline{toc}{chapter}{INTRODUÇÃO}
% ———————————————————-

O presente trabalho visa fazer uma análise da situação do Instituto Federal do Paraná, no que tange à sua estrutura Administrativa e de Tecnologia da Informação, de forma a levantar os aspectos mais importantes para uma migração para um cenário de datacenter localmente instalado para um cenário de uso de computação em nuvem, nas formas definidas pelas melhores práticas de implementação de solução de Computação em Nuvem. Este trabalho também têm por objetivo apresentar de forma clara os aspectos utilizados na avaliação dos diversos pontos fortes, fracos e as principais ameaças e oportunidades do Instituto Federal do Paraná, em relação à uma mudança de paradigma de serviços de TI vigente para um novo cenário, ainda pouco explorado na Administração Pública Federal.

We Will Write a Custom Essay Specifically
For You For Only $13.90/page!


order now

Neste trabalho serão abordados os principais pontos importantes da legislação Brasileira sobre contratação de serviços de nuvem, sua relação com os princípios norteadores no desenvolvimento de uma Arquitetura de Solução para computação em nuvem e a Avaliação do Cenário atual para uma provável mudança para um cenário de Computação em Nuvem. Serão abordados também os principais pilares da \textit{ISACA} no que tange a melhor forma de se analisar um cenário de implantação e a implementação de uma metodologia de avaliação com servidores de TI acerca da maturidade institucional para uma transição para o modelo em nuvem, através de uma pesquisa de campo e reuniões para apresentação dos conceitos abordados.

Por último serão apresentados os resultados da pesquisa, segundo a metodologia escolhida, o resumo das reuniões e as conclusões acerca da viabilidade da implementação de uma solução em nuvem no Instituto Federal do Paraná.

\section{Tema}

\section{Justificativa}

A adoção de uma solução de computação em nuvem no Instituto Federal do Paraná traria muito mais estabilidade para as atividades atualmente dependentes da infraestrutura de TI, haja vista a capacidade que provedores de computação em nuvem possuem de manter conexões estáveis e principalmente, adaptar a capacidade de processamento, armazenamento e memória para a variação da demanda do Instituto. Neste cenário, os gastos com manutenção da atual infraestrutura de Tecnologia da Informação têm consumido cada vez mais recursos financeiros, que poderiam ser melhor aproveitados se a atual infraestrutura física pudesse ser terceirizada para uma empresa cujo ramo de negócio é exclusivamente atender este tipo de necessidade.

No entanto, a adoção de um modelo de computação em nuvem não é um processo simples, pois demanda principalmente um nível de responsabilidade elevado de gestão e governança de TI, e quando se fala de serviço público, este processo é ainda mais complexo de ser executado, necessitando uma de avaliação baseado em critérios intrínsecamente relacionados ao modelo decontratação de serviços da administração pública federal.

\section{Objetivos}

\subsection{Objetivo Geral}

Este trabalho têm como objetivo geral fazer um estudo de viabilidade de adoção de uma solução em nuvem no âmbito do Instituto Federal do Paraná, de forma a reduzir custos com licenciamento e instalação de software nas máquinas clientes.

\subsection{Objetivos Específicos}

Como objetivos específicos, listamos os seguintes a serm alcançados com este trabalho:

\begin{enumerate}
\item Efetuar levantamento das características da instituição que podem interferir em uma situação de migração para computação em nuvem;
\item Analisar a capacidade atual da instituição nos níveis negocial e técnico;
\item Levantar nível de maturidade da instituição em relação a um contexto de migração para o paradigma de nuvem;
\end{enumerate}

\section{Problema da Pesquisa}

Atualmente, o Instituto Federal do Paraná, que consta de uma reitoria e 26 campi espalhados no estado do Paraná, têm enfrentados problemas frequentes com o dimensionamento das soluções de computação para os sistemas institucionais, entre elas problemas com conectividade, segurança, capacidade de manutenção do parque físico e atualização das soluções de software atualmente usadas pelo Instituto, que não são desenvolvidas pelo mesmo, sendo adquiridas de fornecedores externos à mesma.

Soma-se ao fato de que atualmente não existe redundância do datacenter nem das suas estruturas de comunicação e energia, e nesse sentido, são fatores que atualmente afetam frequentemente o desempenho das atividades da instituição, principalmente em momentos de alta de uso dos serviços informatizados, que apresentam atrasos no fornecimento e atendimento das requisições, devido à falta de flexibilidade no acompanhamento da carga de trabalho gerada pela instituição e a capacidade do datacenter de acompanhar a demanda.

\section{Delimitação do Problema da Pesquisa}

Dado o fato de o Instituto Federal do Paraná ainda ser uma instituição nova, com pouco mapeamento documental, fez-se necessário definir que a investigação sobre os fluxos de trabalho atualmente em uso na instituição fosse feita de forma tácita, através de entrevistas com os responsáveis gerenciais e negociais das áreas fim do negógio da instituição.

% ———————————————————-
% PARTE
% ———————————————————-
\chapter{REVISÃO BIBLIOGRÁFICA}
% ———————————————————-

Em \citeonline{van2004strategies} são apresentados os princípios de governança e gerenciamento de Tecnologia da Informação em ambientes corporativos. O livro trata especificamente dos conceitos de Governança de Tecnologia da Informação que uma empresa deve implementar para prover o correto direcionamento da empresa, no intuito de alcançar vantagens competitivas para a organização. É feita também uma definição dos valores do importantes do negócio e a definição do Modelo de Alinhamento Estratégico da organização.

No documento do \citeonline{mell2011nist} é feita a definição completa de Computação em Nuvem, onde também são definidos os padrões e diretrizes para o uso de Computação em Nuvem nas Agências Federais norte-americanas. É também neste documento onde são apresentados os aspectos mais importantes da computação em nuvem, bem como comparações amplas dos diferentes tipos de serviços de nuvem e estratégias de implantação, de forma a fornecer uma linha de base para a discussão do que é Computação em Nuvem e da melhor forma de se usar os recursos providos. Por último são apresentados modelos de serviço e implantação através de taxonomias destinadas a evitar a restrição a métodos particulares de implantação, entrega de serviços ou de operação.

Nos autores \citeonline{sousa2009computaccao} e \citeonline{ruschel2010computaccao} são definidos os conceitos básicos de Computação em Nuvem que serão abordados em todo o decorrer deste documento. As definições são feitas de forma simples e direta, objetivando uma introdução clara aos conceitos iniciais de nuvem.

Através da tese de \citeonline{medeiros2014computaccao} é feita uma contextualização da agenda governamental e de decisão em TI, à luz do modelo dos múltiplos fluxos, considerando o status atual das políticas públicas de TI, a dinâmica da formação de agenda para a área, a interface entre as diversas instituições, e as iniciativas vigentes acerca do uso da computação em nuvem no governo.

No artigo de \citeonline{de2016uso} é feito um estudo de identificação dos fatores que influenciam a adoção da computação em nuvem na administração pública, a partir da comparação entre gestores de TI (CIOs) do estado do Rio Grande do Norte e do Governo Federal. Adicionalmente são apresentados resultados indicam que há heterogeneidade de conhecimento sobre o assunto, com ausência de conhecimento técnico sobre Computação em Nuvem.

No \citeonline{isaca2016} é apresentada a natureza da computação em nuvem e as áreas de pressão que, se não forem bem administradas, podem acarretar riscos para a empresa. Também são apresentados seis princípios para a adoção e o uso da computação em nuvem que podem orientar a gerência para uma implantação e uso da nuvem mais eficaz, redução dos pontos de pressão e do potencial de risco. Adicionalmente também são apresentados princípios para a adoção e o uso da computação em nuvem que podem orientar a gerência para uma implantação e uso da nuvem mais eficaz, objetivando a redução dos pontos de pressão e do potencial de risco.

Em \citeonline{leimarcocivil} é apresentada a lei que regula o uso da Internet no Brasil por meio da previsão de princípios, garantias, direitos e deveres para quem usa a rede, bem como da determinação de diretrizes para a atuação do Estado. A lei trata de temas como neutralidade da rede, privacidade, retenção de dados, a função social que a rede precisará cumprir, especialmente garantir a liberdade de expressão e a transmissão de conhecimento, além de impor obrigações de responsabilidade civil aos usuários e provedores.

Na Lei \citeonline{leilicitacoes} são estabelecidas normas gerais sobre licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, inclusive de publicidade, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

No Decreto Presidencial \citeonline{decretocomputacaonuvem} é disposto em linhas gerais sobre as comunicações de dados da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e sobre a dispensa de licitação nas contratações que possam comprometer a segurança nacional.

Na Norma Complementar \citeonline{decretodsic} são estabelecidas diretrizes para a utilização de tecnologias de Computação em Nuvem, nos aspectos relacionados à Segurança da Informação e Comunicações, nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, direta e indireta.

Na recomendação \citeonline{recomendacaosti} são definidas regras e diretrizes no que tange à contratação de serviços de computação em nuvem, no âmbito da administração pública federal, em consonância com as Leis \citeonline{leimarcocivil} e \citeonline{leilicitacoes}.

\section{Referenciais Teóricos}

Muito têm se falado de Computação em Nuvem nos tempos atuais, por profissionais de Tecnologia da Informação pela sua capacidade de mudar a forma como as empresas consomem tecnologia, especialmente para empresas que ainda possuem o próprio parque computacional, mudando o patamar atual para um onde a TI é consumida como um serviço, conforme cita \citeonline{isaca2016}.

Com as empresas cada vez mais integradas à internet, a capacidade de utilizar tecnologia à seu favor para a construção de soluções ousadas e contemporâneas para atender aos anseios e imposições definidas pelos clientes torna-se algo peremptório. A adoção rápida de soluções mais eficientes e propícias às necessidades do mercado, evitando-se criar situações de dependência de soluções únicas permite que empresas hábeis possam aumentar seus investimentos de maneira crescente. Nesse sentido, o uso de plataformas em nuvem ou mesmo de soluções já existentes de aplicações, como \textit{Sofware as a Service}, permitem uma maior desenvoltura difícil de ser comparada com outras formas de soluções, de acordo com \citeonline{isaca2016}.

Nessa nova perspectiva da Tecnologia da Informação, os serviços são providos, consumidos e utilizados de maneira equivalente a outros recursos habituais, como eletricidade, saneamento, telefonia, entre outros.

Desta forma, a computação em nuvem trás aos usuários a possibilidade de uso de recursos de computação sem a necessidade de se conhecer a localização dos mesmos ou mesmo a forma como os mesmos são distribuídos e, ainda mais, a forma como é faturado os serviços consumidos.

A TI, nos tempos atuais, não têm somente sendo suporte das atividades-fim das organizações, mas sim a base na qual as estratégias das organizações são construídas, sendo elemento diferencial na capacidade das mesmas de atender seus clientes de maneira rápida e eficiente.

É possível comprovar esta assertiva em diversos ramos de atividade, conforme atestado por \citeonline{van2004strategies}, quando afirma o seguinte:

Nesse prisma, de acordo com o que versa \citeonline{van2004strategies}, a necessidade do negócio estar alinhado com a TI é extremamente importante no contexto da economia contemporânea, pelo simples motivo de a economia estar cada vez mais direcionada na compreensão das enormes quantidades de informação gerada atualmente, onde hoje as empresas estão focando seus ativos de TI, através de gestão de informação e soluções como \textit{BigData}.

No entanto, quando analisamos os ganhos efetivos providos pela computação em nuvem, podemos notar o seu direto alinhamento com os princípios norteadores da administração pública, onde a atividade e a execução das ações dos agentes públicos deve seguir sempre respeitando os pilares da transparência, responsabilidade com a coisa pública e eficiência, motivos estes que na TI podem ser obtidos através da computação em nuvem, conforme \citeonline{de2016uso}.

Contudo, não é este um cenário comum nas autarquias brasileiras. No cenário da \textit{APF}, segundo \citeonline{medeiros2014computaccao}, falta instrução, conhecimento e principalmente interesse da gestão para que o uso de computação em nuvem possa ser executado com mais afinco nas TIs no governo federal.

Em vista desta aparente dissonância entre os cenários políticos, de gestão e administrativos dentro da \textit{APF}, este trabalho objetiva lançar uma luz aos conceitos de Computação em Nuvem, suas aplicações dentro do modelo de gestão de Tecnologia da Informação.

Ainda é objetivo deste trabalho montar uma análise de viabilidade da contratação de serviços em Nuvem pelo Instituto Federal do Paraná, traçando paralelos com outros casos de sucesso da Administração Pública Federal e delimitando os parâmetros necessários para alcançar o sucesso nas fases de licitação, homologação, fiscalização e gestão dos contratos de serviços de nuvem no âmbito administrativo e político da autarquia.

\subsection{Regras para adoção de soluções de Computação em Nuvem}

Dado o fato de existirem diversas situações que envolvem o processo de migração de uma TI clássica para uma TI voltada à computação em nuvem, faz-se necessário especificar regras que possam ser usadas durante o processo de migração, com o intuito de preparar adequadamente a instituição para o processo em si.

Estudando-se diversas publicações e materiais tanto da biblioteca digital do SENAC quanto encontrados em periódicos da área, foi possível elaborar regras de avaliação que pudessem determinar o potencial de sucesso ou não de uma estratégia para a adoção de serviços de computação em nuvem em seus mais variados níveis. Adicionalmente, com a correta avaliação destas regras e seus resultados, é possível para a instituição antecipar a ocorrência de riscos relacionados à implantação, permitindo o mapeamento dos das Fraquezas e Ameaças e determinando as Forças e Oportunidades do processo.

O estudo dos aspectos elencados na literatura permitiu uma reflexão sobre as atividades a serem desenvolvidas e quais métodos devem ser usados e aqueles que devem ser evitados, baseado nas condições específicas da Administração Pública Federal.

Começando pela \citeonline{isaca2016}, analisamos os seis princípios norteadores de ações relacionadas à adoção de serviços de computação em nuvem, que são os seguintes: \textit{Princípio de capacitação}, \textit{Princípio de custo-benefício}, \textit{Princípio de risco}, \textit{Princípio de capacidade} e \textit{Princípio de responsabilidade}.

Outro ponto de análise importante é o estudo de identificação de fatores preponderantes que influenciam a adoção de soluções em nuvem na Administração Pública, onde é focado o problema relacionado ao \textit{Princípio de capacitação}, dependente de recursos da própria Administração Pública no âmbito do Programa Nacional de Capacitação, conforme o Decreto \citeonline{decretoplanonacionalcapacitacao}.

Em tempo, as diretrizes emitidas pelo Gabinete da Presidência da República, confome \citeonline{decretocomputacaonuvem}, dão enfoque nas questões de segurança da informação que as autarquias deverão seguir para seus processos de contratação.

Para a síntese das regras a serem utilizadas no processo de avaliação de viabilidade, as informações levantadas foram analisadas de forma qualitativa e interpretativa tendo como base a análise do conteúdo das publicações e seu encaixe nas políticas da \textit{APF}. Este modelo foi escolhido por trazer benefícios mais diretos no âmbito dos objetivos elencados para o referido trabalho.

\subsubsection{Regras de implantação para a ISACA}

Como regras norteadoras do processo de implantação de soluções de computação em nuvem, a \citeonline{isaca2016} pondera que devem existir alguns pré-requisitos nas instituições, não somente relacionadas às políticas de TIC mas também nas políticas de Gestão da referida. Os pré-requisitos necessários elencados na \citeonline{isaca2016} são os seguintes:

\begin{enumerate}
\item O processo de migração para uma solução de computação em nuvem deve fazer parte do plano estratégico da instituição;
\item Deve ser feita uma avaliação de riscos para a instituição do processo;
\item Um levantamento de custos-benefícios deve ser desenvolvido levando-se em consideração os riscos e os ganhos para a instituição;
\item Deve haver uma política de treinamento dos agentes envolvidos no processo de migração;
\item O comitê de segurança deve emitir um parecer à respeito da segurança da informação no novo modelo;
\item Deve haver métricas de eficiência e eficácia dos aplicativos institucionais para garantia da qualidade;
\end{enumerate}

\subsubsection{Regras de implantação para o Gabinete da Presidência da República}

De acordo com as regras presentes em \citeonline{decretodsic}, do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações do Gabinete da Presidência da República, as mesmas são de caráter essencial para a implantação de soluções em nuvem nas autarquias da Administração Pública Federal pelo fator relacionado à segurança da informação institucional, também definido na Norma Complementar. Em síntese, as regras são as seguintes:

\begin{enumerate}
\item As normativas institucionais devem estar em consonância com as normas e diretrizes de segurança da informação e comunicações institucional;
\item As normativas institucionais devem estar em consonância com as normas e diretrizes de gestão de continuidade do negócio;
\item As normativas institucionais devem estar em consonância com as normas e diretrizes de gestão de riscos do plano de segurança da informação;
\item A arquitetura da nuvem a ser implementada deve respeitar as normativas da instituição, definidas através do PDTI e ratificados no PDI da instituição;
\item Devem ser definidas garantias legais e contratuais sobre a propriedade das informações armazenadas no serviço de computação em nuvem;
\item As informações devem ser classificadas antes de serem encaminhadas para a solução de computação em nuvem;
\item O valor dos ativos de informação deve ser previamente conhecido para a determinação dos custos em caso de perda das informações;
\item Deve haver uma política explícita de controle de acesso às informações e às responsabilidades no sentido da manutenção da sua integridade;
\item A localização física onde os dados estão armazenados deve ser conhecida para os fins que se fizerem necessários;
\end{enumerate}

\subsection{Análise da História do Instituto Federal do Paraná}

Fundada à partir da Escola Técnica da Universidade Federal do Paraná (\textit{ET-UFPR}), em 19 de março de 2008 o Conselho Universitário da UFPR delibera pela implantação do Instituto Federal do Paraná, em sede própria.

Neste tempo, apesar de ter vinculado o quadro original da \textit{ET-UFPR}, todos os processos relacionados ao negócio da instituição precisaram ser construídos, devido às diferenças entre o funcionamento das Instituições de Ensino Superior e Técnico. Desta forma, muitos dos processos já definidos na Universidade Federal do Paraná deixaram de ser utilizados, em especial aqueles relacionados às questões de ensino.

Desde então, este têm sido um problema recorrente no \textit{IFPR} devido às trocas frequentes dos reitores, pró-reitores e diretores de áreas, responsáveis por solidificar estes fluxos.

Assim, para poder mapear os fluxos que fossem impactantes no desempenho de uma solução de nuvem na Instituição, fez-se necessário um levantamento através de entrevistas com responsáveis de negócio, das áreas diretamente afetadas por uma implantação de solução em nuvem para os sistemas vigentes.

Atualmente, o Instituto Federal do Paraná conta com 26 campi, 1 campus de Educação à Distância e 1 Reitoria Administrativa, responsável por direcionar as ações de todos os campi nas esferas de atuação da Instituição.

% ———————————————————-
% PARTE
% ———————————————————-
\chapter{DESENVOLVIMENTO}
% ———————————————————-

\section{Pesquisa}

\subsection{Metodologia}

Para a criação do modelo de viabilidade, foi utilizada uma metodologia baseada em pesquisa bibliográfica focada em levantar os aspectos principais da contratação de serviços em nuvem e os aspectos legais de contratação de serviços terceirizados, de acordo com a Lei 8.666/93, seguida de análise documental do levantamento bibliográfico.

Em seguida, foi feito um estudo das estruturas negociais e técnicas da instituição, juntamente com um levantamento histórico breve, onde foi possível ter uma perspectiva inicial da dificuldade dos mapeamentos de fluxo para uma projeção de migração de infraestrutura e de sistemas.

Adicionalmente, para efeitos de quantificação dos gastos, foi feita uma projeção de precificação da infraestrutura vigente para uma eventual migração completa para soluções de computação em nuvem.

Posteriormente, foi feita uma consulta focalizada entre servidores de TI do IFPR para avaliação do modelo proposto e sua viabilidade de aplicação para a contratação de SaaS pela autarquia. A consulta consistirá de várias perguntas com respostas de múltipla escolha, indicando a satisfação do referido servidor em relação a cada ponto elencado na consulta.

Foi utilizado como universo amostral da consulta a totalidade dos técnicos e analistas de TI da Reitoria do IFPR, por serem os principais elementos no processo de contratação serviços e compra de ativos de TI para o Instituto.

O método de análise da consulta foi baseado na consolidação dos dados qualitativos e quantitativos da consulta de cada técnico e analista, de forma a criar um indicador de sucesso ou falha da viabilidade da contratação de Software as a Service, em nuvem.

\subsubsection{Modelo de Medição da capacidade da instituição para a adoção de computação em nuvem}

Com base nos estudos sobre os riscos e recomendações a serem seguidos para a utilização de computação em nuvem, entende-se que é necessário primeiro uma avaliação pela área de TIC da instituição para que seja feita uma matriz SWOT definindo as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças antes que a instituição tenha seu negócio colocado em risco com a adoção de um novo modelo de TI baseado em nuvem.

Assim posto, foi definido um questionário com questões relevantes do ponto de vista das dificuldades a serem enfrentadas no processo de migração em nuvem, no âmbito da instituição IFPR, no que tange a capacidade da estrutura atual de ser migrada para o paradigma da computação em nuvem.

Cabe ressaltar que o intuito desse trabalho é fazer uma avaliação de viabilidade de migração para uma solução de computação em nuvem, à partir das regras levantadas e da situação atual da TI institucional. As questões propostas foram então desenvolvidas com base nestes critérios elencados, das propostas de computação em nuvem apresentados em \citeonline{sousa2009computaccao} e \citeonline{ruschel2010computaccao} e de considerações à respeito do processo de implantação de computação em nuvem em outras autarquias federais, conforme consta em \citeonline{de2016uso}.

\subsubsection{Levantamento de Dados}

Para a realização deste trabalho, foram estudadas e aplicadas metodologias de estudo de campo, pesquisa bibliográfica e questionário com questões avaliativas do atual cenário da instituição.

O estudo de campo se deu através da realização de consultas tácitas a vários membros das áreas de negócio, tanto das áreas fim da instituição (Ensino, Pesquisa, Extensão) quanto das áreas meio, que possibilitam o funcionamento da instituição (Administrativo, Núcleo Gestor, Tecnologia da Informação).

A pesquisa bibliográfica se deu para levantar os fatores preponderantes da análise da estrutura da instituição, sob o viés das necessidades e possibilidades de aplicação de arquiteturas de solução que fossem direcionadas aos problemas atualmente em vigência na instituição, assim como identificar possíveis pontos de bloqueio de aplicação de soluções, dado o fato de a instituição ser uma autarquia da Administração Pública Federal, o que limita as aquisições às permitidas em lei.

Já o questionário foi aplicado entre o Grupo de Tecnologia da Informação, para avaliar as propostas tanto quanto as opções em relação a sistemas, e se o cenário proposto poderia ser aplicado à Instituição.

É importante salientar que o Instituto Federal do Paraná possui um parque de Datacenter de tamanho razoável e de alta complexidade, o que exigiria uma análise dos custos e dos riscos inerentes de uma mudança de paradigma. Este ponto é o ponto central para a determinação da viabilidade do processo, sendo os outros fatores, componentes para avaliação do risco inerente da solução apresentada.

\section{Estudo da Estrutura Vigente}

\subsection{Análise dos Fluxos de Negócio do Instituto Federal do Paraná}

Atualmente no Instituto Federal do Paraná, poucos fluxos de trabalho encontram-se mapeados documentalmente, sendo a maioria destes implementados através das políticas do Plano Nacional de Educação, na área de Ensino e Pesquisa, e dos fluxos de operação do Ministério do Planejamento, para a área administrativa.

Desta forma, a mior parte da operacionalização do negócio da instituição se dá pelo conhecimento intrínseco dos servidores imbuídos das tarefas referentes a cada parte do processo institucional como um todo.

Em relação ao Instituto Federal do Paraná, podemos elencar as seguintes áreas negociais, responsáveis pela determinação das atividades em toda a Instituição:

\begin{itemize}
\item \textbf{Pró-reitoria de Ensino} – Responsável por determinar as ações referentes à educação básica, técnica e tecnológica;
\item \textbf{Pró-reitoria de Extensão} – Responsável por determinar ações referentes à atividades de pesquisa e inovação tecnológica;
\item \textbf{Pró-reitoria de Administração} – Responsável por gerir administrativamente a Instituição e determinar fluxos referentes a compras, contratos, atas, serviços e patrimônio;
\item \textbf{Pró-reitoria de Planejamento} – Responsável por definir a estrutura organizacional nas esferas administrativa e financeira, além de fazer o gerenciamento do Orçamento Institucional e o cumprimento das métricas definidas no Plano de Desenvolvimento Institucional;
\item \textbf{Pró-reitoria de Gestão de Pessoas} – Responsável pela gestão de pessoal, das aptidões e treinamento dos servidores da instituição;
\item \textbf{Diretoria Sistêmica de Tecnologia da Informação} – Responsável por gerenciar a infraestrutura de TIC e implementar os fluxos de processo nos Sistemas Institucionais;
\item \textbf{Gabinete da Reitoria} – Responsável por definir métricas de execução das ações necessárias ao funcionamento da Instituição.
\end{itemize}

Em todas as áreas negociais, a falta de mapeamento dos fluxos de processo dificulta a mensuração correta dos esforços para a execução das atividades, impedindo que uma mensuração mais direta do impacto de qualquer alteração na estrutura organizacional possa ser efetuada.

Desta forma, para ser possível um levantamento mais preciso do impacto de mudanças nas estruturas administrativas, é sempre necessário fazer testes de implantação, com riscos maiores que a simulação baseada em indicadores e alteração dos fluxos de processo.

Desta forma, o fato de não haver fluxos bem definidos dificulta uma análise do impacto das alterações que uma solução em nuvem aplicada à infraestrutura de TIC da instituição pode ter no funcionamento dos fluxos de processo da mesma.

\subsection{Análise dos Sistemas de Informação atualmente em uso no Instituto Federal do Paraná quanto à sua capacidade de migração para uma solução de Computação em Nuvem}

Em relação aos sistemas administrativos da instituição, a Diretoria de Tecnologia da Informação divide com os 26 Campi a responsabilidade pela manutenção e administração, sendo parte das responsabilidades intrínsecas da Diretoria, conforme listagem abaixo:

\subsubsection{Atribuições dos Campi}

São de responsabilidade de cada Campi os seguintes sistemas:

\begin{itemize}
\item Administração do Site Administrativo do campus;
\item Administração do Contrato de Impressão;
\end{itemize}

\subsubsection{Atribuições da Reitoria}

São de responsabilidade da Reitoria, sob a figura da Diretoria de Tecnologia da Informação, os seguintes sistemas:

\begin{itemize}
\item SIPAC – Sistema de Gestão Educacional-Administrativo, composto por 4 sistemas e mais de 100 módulos;
\item SEI – Sistema de Protocolo Eletrônico;
\item Sistemas menores, responsáveis por atividades de cunho específico dentro da Instituição;
\item Aplicações SaaS em regime de contrato de nuvem: Google Apps, Google Mail;
\end{itemize}

\subsubsection{Efetivo de TI voltado à desenvolvimento e manutenção de sistemas}

É importante ressaltar que os sistemas principais do \textit{IFPR}, SIPAC e SEI, não foram desenvolvidos pela instituição, tendo sido adquiridos através de programas de licenciamento de software em colaboração com outras antidades. Adicionalmente, no caso do sistema SIPAC, ainda houve uma contratação de empresa terceirizada para manutenção e evolução do código, de acordo com as solicitações da área negocial do Instituto. Cabe ressaltar que durante todo o tempo de vigência tanto do contrato de colaboração quanto da contratação da terceirizada, não houve transferência de conhecimento adequado do funcionamento interno do sistema para que a equipe interna do Instituto pudesse assumir o desenvolvimento da aplicação, implicando em dificuldades de manutenção e necessidade de contratação de mais pessoal para estudar o sistema.

Hoje, o efetivo de TI voltado ao desenvolvimento, manutenção e suporte a sistemas é de 15 servidores, divididos entre as três áreas, lembrando que somente uma parte desse quantitativo é efetivamente voltado à manutenção dos sistemas SIPAC e SEI.

Para este trabalho, são destinados 11 servidores, divididos entre serviços de ti e infraestrutura computacional.

Concluindo, a estrutura de Sistemas no Instituto Federal do Paraná é bastante complexa, abarcando diversas frentes de desenvolvimento como Java, Python e Php, quanto manutenção, tanto dos sistemas institucionais quanto dos sites administrativos, além de demandas de infraestrutura computacional estratificada, entre conectividade, fornecimento de serviços e provimento de infraestrutura de TI.

\subsection{Análise da Infraestrutura implantada no Datacenter do Instituto Federal do Paraná}

No cenário atual do Instituto Federal do Parná, no que se trata da infraestrutura vigente para o funcionamento dos diversos sistemas institucionais que proporcionam a execução dos fluxos de negócio, podemos elencar a seguinte formação:

\begin{itemize}
\item Estrutura de Virtualização VMware vSphere, composto de 25 nós de computação e 2 nós de gerenciamento;
\item Estrutura de Armazenamento, composto de 2 Storages EMC, com 200Tb (principal) e 50Tb (replicação);
\item No-Break de 80kVA com Banco de Baterias (em regime de locação);
\item Grupo Gerador de autonomia para 12h;
\end{itemize}

É importante salientar que a estrutura atual de virtualização hoje comporta por volta de 200 máquinas virtuais, para os propósitos da instituição, compostos pelos vários sistemas atualmente em uso.

A estrutura atual, para fins de análise financeira comparativa, está avaliada em aproximadamente 9 milhões de Reais, com gastos mensais com gastos mensais na faixa de 10 mil Reais por mês para manutenção de contratos de manutenção preventiva, corretiva e de locação de equipamentos.

\subsubsection{Efetivo de TI voltado à infraestrutura}

Como apoio aos sistemas e definição das estruturas de computação da instituição, o setor de Infraestrutura trabalha com ações de provimento de estrutura de ti para os campi, fornecimento de arquiteturas de computação para o setor de desenvolvimento e o provimento de vários sistemas paralelos necessários para o funcionamento da instituição. Dentre estes, podemos citar o gerenciamento de contratos de impressão, de provimento de internet para os campi e de alocação de computação centralizada através de uma estrutura de datacenter institucional.

\section{Precificação de solução de Computação em Nuvem com base na infraestrutura vigente}

Dada a definição das estruturas negociais, de infraestrutura e de sistemas, algumas soluções de cloud foram elencadas tendo como premissa a possibilidade de adequação dos sistemas atuais das mesmas em um sistema de Computação em Nuvem.

Dado o fato que não há informação de negócios mapeados de maneira efetiva sobre a estrutura e a variedade dos sistemas institucionais, foi decidido que cada opção abordaria um dos casos especificados de forma a garantir que o máximo de variáveis fossem satisfeitas.

Desta forma, para fins de estudo, foi pensada a seguinte proposta: Migração completa dos sistemas administrativos e sites institucionais;

Para o levantamento da proposta, foi identificado que o melhor cenário seria um cenário IaaS, onde as aplicações e o banco de dados seriam portados para a infraestrutura cloud, sendo necessária a adaptação do sistema para tratar não só de uma das instâncias da Instituição, permitindo a separação dos dados e ao mesmo tempo permitindo um gerenciamento centralizado por parte dos gestores do negócio.

\subsection{Fornecedores de Serviços de Cloud}

Soluções de computação em nuvem podem incluir infraestrutura, plataformas de desenvolvimento e software. No entanto, a expressão “a nuvem” pode significar muitas coisas diferentes, para diversos profissionais de TI. Como componentes de uma estrutura de TI, a nuvem deve ser encarada como terceirização \textit{on-demand}, geralmente através de serviços de assinatura mensal ou por uso da estrutura.

\subsubsection{Infraestrutura como Serviço}

Como o próprio nome diz, Infraestrutura como Serviço é um modelo de nuvem que permite às organizações terceirizarem equipamento e recursos computacionais, como servidores, armazenamento, mantendo-se com a responsabilidade no nível de sistema operacional. Desta forma, sendo de sua responsabilidade as configurações de ambiente, serviços como e-mail, plataforma de desenvolvimento e software.

Nesta linha, elencamos os seguintes serviços, conforme tabela abaixo:

\begin{table}htb
\ABNTEXfontereduzida
\caption{Provedores de Infraestrutura}
\label{tabelaprovedores}
\begin{tabular}{p{2.6cm}|p{5.2cm}|p{1.25cm}|p{2.2cm}|p{2.6cm}}
\hline
\textbf{Provedor} & \textbf{Características principais} & \textbf{SLA} & \textbf{Tarifação} & \textbf{Preço} \\ \hline
\textit{Amazon AWS} & Diversos serviços, como Servidores Elásticos e Armazenamento Dinâmico & 99,95\% a.m. & Sob Demanda & US\$ 0,041 / hora \\ \hline
\textit{Windows Azure} & Facilidade de Administração; Servidores Windows Server & 99,95\% a.m. & Sob Demanda & US\$ 0,11 / hora \\ \hline
\textit{Google Compute Engine} & Integração com outras ferramentas Google & 99,95\% a.m. & Sob Demanda & US\$ 0,17 / hora \\ \hline
\end{tabular}
\end{table}

\subsubsubsection{Amazon AWS}

A Amazon oferece uma ampla gama de serviços de nuvem, entre ofertas de computação e armazenamento de informações. Seus serviços mais conhecidos são os referentes às capacidades elásticas das soluções de computação, que se adaptam de maneira bastante responsiva às necessidades do cliente.

Das três opções, é a que oferece a maior gama de serviços de nuvem, desde \textit{cold storage} até \textit{load balancing}. No entanto, a integração com outras ferramentas de cloud é mais complexa de se implementar, devido à integração nativa com as próprias ferramentas que a Amazon fornece.

\subsubsubsection{Windows Azure}

O mais interessante da solução Windows Azure é a possibilidade de se portar sistemas baseados em Windows Server para a nuvem, com o oferecimento de instâncias escalonáveis de acordo com a demanda de serviço.

Como vantagens, o Windows Azure têm a integração nativa com Serviços de Diretório já em uso e o gerenciamento de toda a estrutura usando uma única interface, o \textit{Windows System Center}. As desvantagens aparentes são a impossibilidade de se usar sistemas que não sejam baseados na arquitetura Windows Server, apesar de ser possível a integração com serviços externos.

\subsubsubsection{Google Compute Engine}

O Google Compute Engine, sendo um serviço de execução descentralizado, é mais especializado em questões que envolvam \textit{BigData}, computação de alta performance e aplicações focadas em análise de dados. Ainda é possível uma integração completa com outros produtos Google voltados para computação em nuvem, como o \textit{Firebase} para aplicativos para celular e o \textit{Google App Engine}, plataforma de \textit{PaaS} que o Google fornece, baseado em Java e Python.

Tendo como foco a integração do usuário com as ferramentas nativas do sistema, o Google Compute Engine é excelente para quem já usa outros serviços da prestadora, como \textit{Mail}, \textit{Cloud Storage} e \textit{BigQuery}.

\subsection{Precificação das Soluções}

Com base na análise dos valores apresentados, foi calculado um valor médio por mês, baseado no quantitativo de máquinas virtuais atualmente em uso pela Instituição, em custos de manutenção de uma estrutura semelhante, aplicada às taxas cobradas pelos provedores elencados, conforme tabela abaixo:

\begin{table}htb
\ABNTEXfontereduzida
\caption{Precificação}
\label{tabelaprecificacao}
\begin{tabular}{p{6.1cm}|p{5.2cm}|p{3.25cm}}
\hline
\textbf{Provedor} & \textbf{Tarifação} & \textbf{Preço} \\ \hline
\textit{Amazon AWS} & US\$ 0,041 / hora & US\$ 208,34 / hora \\ \hline
\textit{Windows Azure} & US\$ 0,11 / hora & US\$ 558,94 / hora \\ \hline
\textit{Google Compute Engine} & US\$ 0,17 / hora & US\$ 863,82 / hora \\ \hline
\end{tabular}
\end{table}

Os valores elencados são baseados em uma solução que abarcasse as máquinas atualmente em uso na Instituição.

\section{Questionário sobre viabilidade de implantação de solução de Computação em Nuvem no âmbito do Instituto Federal do Paraná}

A proposta abaixo apresentada é focada na realidade institucional do IFPR, no entanto mantendo-se dentro da abordagem para a adoção de computação em nuvem conforme definido nas literaturas citadas. Assim, o questionário desenvolvido na pesquisa trata-se especificamente das situações encontradas pela equipe de TIC do IFPR.

Mesmo sendo uma situação específica, cabe ressaltar que este documento pode ser utilizado como modelo de consulta para instituições da administração pública federal no que tange à consulta para a elaboração de um plano de migração para computação em nuvem, onde os mesmos possam avaliar seu estado atual em relação aos aspectos a serem considerados quando em se tratar de uma solução de computação em nuvem.

As questões formuladas deverão ser respondidas pelos gestores de TI e especialistas das áreas relacionadas, levando-se em consideração o conhecimento necessário para questões técnicas do processo.

As questões elencadas são as seguintes:

\begin{itemize}
\item É vantajoso para a empresa a portabilidade de sua solução de ERP para a Nuvem?
\item A solução de ERP da empresa está pronta para a Nuvem ou pede poucas alterações para adequação?
\item Existe solução ERP em nuvem que possa ser customizada para a realidade da empresa?
\item É possível o aproveitamento dos investimentos em ERP na solução em Nuvem?
\item Qual o nível de risco em cada aspecto abaixo, na migração para uma solução em Nuvem?
\item Pergunta aberta: Qual sua opinião sobre o nível de maturidade da empresa para a adoção de uma solução em nuvem?
\end{itemize}

\subsection{Avaliação dos especialistas e gestores de TIC}

O grupo focal no qual o questionamento e as discussões foi realizado teve a participação de oito especialistas, divididos entre instaestrutura, sistemas e gestão de TI que atuam na Reitoria do IFPR, alguns com prática em processos de contratação de fornecedores de serviços para TI.

Foram feitas duas reuniões com os membros do grupo focal, onde primeiramente foram apresentados os conceitos de computação em nuvem e que foram usados como pontos norteadores deste trabalho. Nesta primeira reunião também foi aberta a palavra aos membros para discutirem à respeito das questões relacionadas à computação em nuvem, principalmente no que tange a migração de sistemas legados e as questões referentes à segurança da informação.

Em um segundo momento, foram apresentadas as questões e coletadas as respostas de cada membro do grupo focal, tendo sido mantida a possibilidade de resposta aberta na última pergunta, de forma a cada um poder colocar suas considerações.

Cabe considerar que no processo de discussão dois membros do grupo focal não se sentiram à vontade para tratar sobre questões relacionadas à computação em nuvem, então estes responderam levando-se em consideração somente as questões referentes à capacidade de migração dos sistemas legados do IFPR.

\subsection{Questionário e Respostas}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta1}
\captionof{figure}{É vantajoso para a empresa a portabilidade de sua solução de ERP para a Nuvem?}
\label{fig:figura1}
\end{minipage}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta2}
\captionof{figure}{A solução de ERP da empresa está pronta para a Nuvem ou pede poucas alterações para adequação?}
\label{fig:figura2}
\end{minipage}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta3}
\captionof{figure}{Existe solução ERP em nuvem que possa ser customizada para a realidade da empresa?}
\label{fig:figura3}
\end{minipage}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta4}
\captionof{figure}{É possível o aproveitamento dos investimentos em ERP na solução em Nuvem?}
\label{fig:figura4}
\end{minipage}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta5}
\captionof{figure}{Qual o nível de risco em cada aspecto abaixo, na migração para uma solução em Nuvem?}
\label{fig:figura5}
\end{minipage}

\begin{minipage}c{\textwidth}
\centering
\includegraphicswidth=0.60\textwidth{pergunta6}
\captionof{figure}{Pergunta aberta: Qual sua opinião sobre o nível de maturidade da empresa para a adoção de uma solução em nuvem?}
\label{fig:figura6}
\end{minipage}

É perceptível por parte da análise dos grupos focais que o conhecimento acerca dos conceitos relacionados à computação em nuvem, tanto no nível técnico quanto no nível negocial, administrativo e financeiro ainda é objeto de insegurança para os envolvidos, onde a maioria dos entrevistados se mostrou reticente, em vários graus, em opinar tecnicamente em relação à questões relacionadas à computação em nuvem e seus impactos nos serviços vigentes.

É importante ressaltar, também, que foi unanimidade durante as discussões a necessidade de treinamento de pessoal tanto nos conceitos negociais relacionados às arquiteturas de solução de computação em nuvem, quanto nos aspectos técnicos e ferramentas disponibilizadas pelas várias provedoras de nuvem.

Em todos os casos, porém, foi possível perceber interesse no assunto, dado que todos concordaram que soluções em nuvem tendem a ser mais eficientes no aproveitamento dos recursos institucionais, quando comparados à soluções \textit{in-site}, que exigem atualização periódica do parque de máquinas.

% ———————————————————-
% PARTE
% ———————————————————-
\chapter{RESULTADOS}
% ———————————————————-

\section{Análise da Viabilidade}

Com base nas informações levantadas, no estudo da estrutura vigente, na quantificação dos gastos, e nas respostas do questionamento aplicado ao grupo focal, a implementação de uma solução para computação em nuvem no IFPR é tida como uma vantagem para a instituição, no entanto muitos consideram que a instituição ainda não se encontra em um estágio propício para a implementação de uma solução em nuvem, sendo necessárias varias adequações tanto na estrutura administrativa quanto na estrutura de TIC da instituição.

Primeiramente, no estudo da estrutura vigente, a falta de documentação dos fluxos de trabalho atualmente em uso na instituição, que atualmente é feito através dos fluxos definidos em um sistema desenvolvido externamente, sem o pleno conhecimento da equipe de TI quanto à seu funcionamento completo apresenta um risco elevado para uma migração completa para computação em nuvem.

Ainda sobre os riscos referentes ao negócio não inteiramente mapeado documentalmente, é importante citar que ainda existe a questão da dificuldade da área de desenvolvimento em fazer as devidas alterações do sistema administrativo e acadêmico atual para atuar em um cenário de computação em nuvem e em segundo lugar, pela complexidade inerente do sistema, que demanda treinamento por parte da equipe para poder atuar mais efetivamente no ajuste dos sistemas às demandas institucionais, principalmente em um cenário de mudança de paradigma de computação.

À parte dos problemas negociais, é importante ressaltar também que a infraestrutura vigente do datacenter da instituição é grande e dispendiosa, e a transferência de tais ativos da instituição para uma solução em nuvem deveria ser feito com bastante planejamento, envolvendo todas as esferas decisórias da instituição.

Para complementar este cenário, foi feita uma projeção simples de uma migração completa da infraestrutura, e como pode ser visto na tabela \ref{tabelaprecificacao}, página \pageref{tabelaprecificacao}. Como é possível observar, os gastos mensais com a estrutura superam em muito os gastos mensais elencados na análise da infraestrutura.

Sobre o questionário efetuado junto aos especialistas e gestores de TI da instituição, é detectada ainda uma certa insegurança por parte da equipe em se aplicar um conceito como o de mudança de paradigma e de computação em nuvem na estrutura vigente. Devido também à falta de treinamento de parte do pessoal nos conceitos necessários para uma implementação de solução de computação em nuvem, uma migração neste momento poderia colocar o negócio em risco, devido à dificuldade da equipe em trabalhar neste novo cenário.

Por último, seguindo a avaliação das condições da instituição de cumprir com as regras definidas pela \citeonline{isaca2016} e \citeonline{decretodsic}, este trabalho avalia por haver insuficiência de capacidade da gestão de se adequar aos modelos propostos, principalmente face ao fato de que a instituição ainda encontra-se em fase de determinação das normativas institucionais, não sendo interessante neste momento de instabilidade administrativa a migração para um modelo que pode vir a se tornar desvantajoso com as alterações das políticas de Gestão Institucional.

Em vista dos pontos elencados, este trabalho levanta a seguinte Avaliação de viabilidade para adoção de Computação em Nuvem no Instituto Federal do Paraná.

\subsection{Avaliação de Viabilidade para adoção de Computação em Nuvem no Instituto Federal do Paraná}

Conforme os pontos levantados durante a análise, este trabalho considera em sua Avaliação de viabilidade para adoção de computação em nuvem no Instituto Federal do Paraná que a mesma não se encontra em nível de maturidade para a adoção completa de soluções em nuvem, sendo necessários esforços adicionais por parte do grupo gestor, no sentido de definir no plano estratégico da instituição o direcionamento para ações que viabilizem a adoção de computação em nuvem no âmbito da Instituição, devendo ser feitas adequações nos quesitos referentes à Gestão e Políticas Institucionais, de Tecnologia da Informação e de Segurança da Informação, de forma a permitir uma implantação de sucesso de soluções de computação em nuvem na TI institucional.

No entanto, apesar disto, dada a existência de sistemas atualmente implementados em uma nuvem \textit{SaaS}, este trabalho aponta para uma solução de migração gradual, onde sistemas periféricos e com menos risco ao negócio fossem migrados gradativamente para soluções em nuvem, tanto para a diminuição de gastos com infraestrutura quanto para a ambientalização por parte das equipes de TI com os conceitos e tecnologias envolvidos nas soluções inerentes à computação em nuvem.

Estas ações podem inclusive serem utilizadas como piloto para a migração de sistemas mais importantes para a instituição, servindo como norteadores para ações de treinamento, adequação de fluxos negociais, proposições para o planejamento estratégico da instituição, melhoria nas projeções de risco inerentes à transição e refinamento de procedimentos referentes à própria visão da TI dentro da Instituição.

Desta forma, este trabalho recomenda que tais situações sejam analisadas junto com o corpo dirigente da instituição, para a definição de métricas e metas para se alcançar esta solução, sendo inclusive um excelente momento para ser efetuado o mapeamento e documentação dos fluxos negociais, ante a migração de sistemas e serviços para uma solução baseada em nuvem.

Assim, conclui-se que é \textbf{Viável} ao Instituto Federal do Paraná a migração para arquiteturas de solução baseada em computação em nuvem, com os devidos ajustes na estrutura organizacional e de forma gradual, de forma a permitir a adaptação da Instituição e de seus funcionários à Computação em Nuvem.

\chapter*Conclusão{Conclusão}
\addcontentsline{toc}{chapter}{CONCLUSÃO}

Este trabalho de pesquisa teve como objetivo fazer uma avaliação da viabilidade de adoção de computação em nuvem no Instituto Federal do Paraná.

A proposta teve como base literatura referente à computação em nuvem, seus processos de implantação e necessidades que precisam ser cumpridas para a completa adoção de um modelo de computação baseado em nuvem. Também foram levados em consideração documentos da Administração Pública Federal que guiam e determinam regras a serem cumpridas pelos órgãos interessados na implementação de soluções terceirizadas de computação, em especial computação em nuvem.

Em relação a esta análise, trabalhos futuros podem se focar em:

\begin{itemize}
\item Avaliação da saúde institucional no que tange a Gestão Institucional, seu cumprimento à boas práticas de gestão corporativa e gerenciamento de serviços de TI;
\item Análise do \textit{ROI} da instituição quanto aos benefícios de soluções de computação em nuvem.
\item Projetos de adequação da infraestrutura corporativa para migração do negócio para soluções baseadas em nuvem;
\item Projetos de arquiteturas de solução voltadas aos serviços em uso;
\item Projeção de gastos da infraestrutura vigente, projetados para um cenário de migração para computação em nuvem;
\item Análise do \textit{ROI} da instituição quanto aos benefícios de soluções de computação em nuvem.
\end{itemize}

Foi o fato de a computação em nuvem ser assunto sempre recorrente na Administração Pública Federal, e em especial no IFPR, que motivou este trabalho de avaliação do IFPR quanto ao cumprimento das diretivas de implantação e implementação de soluções em nuvem. No entanto, como nenhum dos membros do grupo focal tinha experiência com implantação de serviços em nuvem, este pode ser considerado um fator limitador para uma melhor avaliação da situação da instituição.